Maquinações

Paixão | Maquinações sobre o dispositivo

No prolegômeno da análise de tua alma
desejo de acesso ilimitado a uma paixão banda larga
dissonantes, meus acordes machucaram teu ouvir roteado
e no consolo magistral de uma Tebas radiosa de fibra e cobre
te fizeste tinhosa, como sabias me encantaria
pirada, como sempre quiseste
e soubeste falha a tua febre
soubeste meu teu corpo de partida
teu meu arrazoado típico, de infante que se crê maduro

e choraste, como não mais podias
subiste ao cume, caíste fundo, à intimidade do abismo
morreste um pouco, e apenas outro tanto
já que espúria seria tua glória afetada
ao declamares tua mortal toada
se teu rabo gordo de sereia, eclipsado pela voz meio soprano
não descobrisse tua réstia de honra, lavada

clique aqui para não saber de nada
clique aqui para fazer-te de surda
às favas com tais embustes

clique aqui para seres amada

Publicado originalmente no Blog Maquinações sobre o dispositivo: https://dispositivo.blogspot.com

COMPRE O LIVRO MAQUINAÇÕES SOBRE O DISPOSITIVO

Deixe uma resposta