Artigos, Traduções

30 DIAS ANTES DE UM SUICÍDIO

Era 14 de fevereiro de 2012. Dia dos Namorados. Meu esposo e pai do nosso filho de 9 anos compartilhava comigo como estava pensando em suicídio.

Eu nunca havia sequer falado sobre a palavra com ‘S’ antes. Eu não sabia como ou o que dizer, a não ser “Não, por favor, não diga isso”.

O pai amoroso e carinhoso que eu conhecia adorava e amava nossa filha – como poderíamos estar falando sobre isso? Ele chegou em casa tarde naquela noite, com um fofo macaco de pelúcia nas mãos para a nossa criança. Quando me disse essa frase, lembro como ele estava. Sério, amedrontado, triste, sem esperança – viciado em opiáceos. Depois de sofrer um derrame alguns anos antes, o médico receitou-lhe oxycontin, um medicamento para dor, altamente viciante.

Eu implorei e supliquei para que ele não pensasse nisso – que nós conseguiríamos ajudá-lo com seu vício e nossas vidas melhorariam. Mas isso nunca aconteceria, porque o homem que nós amávamos mais do que qualquer coisa neste mundo tiraria a própria vida 30 dias depois.

Enquanto conversávamos e chorávamos naquela noite juntos, eu o fiz me prometer que nunca mais pensaria assim. Que desta vez conseguiríamos ajuda para ele.

Nos 30 dias seguintes, ele foi trabalhar todos os dias. Ele parecia estar bem, apesar de lutar contra a depressão e o vício em heroína nos últimos dois meses de sua vida. Mas um dia notei que ele estava começando a perder peso. Os almoços que eu fazia ainda estavam na marmita dele. Seus hábitos alimentares haviam mudado, assim como sua maneira de pensar. Ele estava mostrando sinais de depressão clínica. Eu implorava e suplicava para que ele me deixasse ajuda-lo, mas toda vez que eu tocava no assunto, ele ficava com muita raiva e ia embora.

Em 30 dias, essa pessoa bonita se transformou em alguém que nem conhecíamos. Ele começou a fumar um cigarro depois do outro, perder peso, parou de comer direito e sua voz já não parecia mais a do homem e pai que nós conhecíamos. Ele começou e terminou o dia com uma dose de heroína nos últimos 30 dias de sua vida. Ele foi trabalhar todos os dias e agiu como se estivesse bem. Ele “tentava” esconder seu vício de mim e fingia que estava tudo bem. Ele me fez jurar e prometer que não contaria a ninguém. Nem para sua família, nem para amigos – ninguém. Eu cumpri. A depressão de John era astuta e desconcertante, era obscura e deprimente e, acima de tudo, consumia o homem que nós e todos os outros conhecíamos e amávamos.

John estava limpo e sóbrio há 13 anos antes do derrame. Ele tinha muitos amigos e recém conhecidos que o admiravam por sua recuperação e pelo pai que ele era para nossa garotinha. Ele a levava com ele a todas as reuniões e atividades dos Narcóticos Anônimos. Parece muito surreal e onírico agora como sua vida era antes de 14 de março de 2012.

Nos últimos 30 dias de sua vida, assistimos à depressão roubá-lo de tudo o que ele trabalhou tão duro para superar. Ele passou por um programa de aprendizagem sobre eletricidade e conseguiu um emprego anos depois de receber a condicional. Depois de anos de vício e encarceramento, decidiu mudar de vida. Ele ajudou muitos homens que foram libertados da prisão e queriam mudar suas vidas. Ele mostrou a eles o caminho da recuperação e como ele viveu sua vida. Mas tudo o que ele estava fazendo foi completamente interrompido por causa de sua depressão e dependência. Naqueles 30 dias, ele se transformaria em um estranho para nós, sua família.

O que mais dói é que ele não podia ou não queria confiar nas pessoas que queriam ajudá-lo nos últimos 30 dias de sua vida extraordinária. Infelizmente, o falso orgulho, ego, depressão e vício o impediram de estender a mão, e é por isso que estou compartilhando isso agora. Mesmo que seja tarde demais para John, talvez alguém que esteja lendo isso seja incentivado a obter ajuda se estiver viciado ou deprimido. Muita coisa pode acontecer em 30 dias e não precisa terminar em suicídio. Existem pessoas que se importam e podem ajudar alguém com esse assassino silencioso e solitário chamado depressão.

John

Fonte: https://themighty.com/2016/06/30-days-before-a-suicide-losing-husband-to-depression-and-addiction/?utm_source=SuicideLossSurvivor_Page&utm_medium=Facebook&fbclid=IwAR2WYjBB8xOks5uqQSwZDn3UgwyAPcu97GiDb95d2EeZX60q-M7_fVWr8WA

Deixe uma resposta