Artigos, Maquinações

O QUE É ANSIEDADE / FOBIA SOCIAL?

Há pessoas que sentem um grande desconforto em situações sociais.

Falar durante uma reunião de trabalho, apresentar um trabalho de escola, participar de uma dinâmica de grupo em seleção de emprego etc., são ocasiões que provocam sofrimento mesmo muito tempo antes de acontecerem, trazendo ansiedade cada vez maior conforme o momento se aproxima.

A isto chamamos ansiedade ou fobia social.

Embora exista grande variabilidade em relação à origem da fobia social, o que requer do clínico uma investigação personalizada, é possível verificar que muitos sujeitos fóbicos foram crianças que receberam uma educação bastante rígida, estimuladora da ordem e do compromisso.

O problema pode estar ligado a 2 tipos de ocorrências:

  1. Aquelas em que ocorre interação, ou seja, o indivíduo precisa conversar, negociar, circular entre outras pessoas;
  2. Aquelas em que o indivíduo é foco ou centro das atenções (dar uma palestra ou apresentar um trabalho de escola, por exemplo).

O sujeito com ansiedade social costuma reportar sensações de embaraço, medo de se expor, de parecer ridículo e inadequado, de ser julgado negativamente por outras pessoas. A exposição às situações desagradáveis, ou mesmo o fato de imaginar-se nelas, traz vergonha.

Algumas pessoas se sentem mal em situações formais, relacionadas com o trabalho, por exemplo, mas ficam razoavelmente confortáveis em situações mais casuais, como em festas. Para outras, pode ser o contrário: ficam mais confortáveis em situações formais do que em situações não estruturadas, de encontro social. Há vários artistas que se apresentam para grandes multidões, mas se sentem intimidados e nervosos em pequenos grupos, em que a intimidade potencialmente é maior.

A intensidade da ansiedade social e a gama de situações temidas variam de pessoa para pessoa.

A ansiedade ou fobia social pode estar relacionada a estilos e traços de personalidade, como introversão, timidez ou perfeccionismo.

Pessoas tímidas costumam sentir-se desconfortáveis em situações que envolvem interagir ou conhecer novas pessoas. Pessoas introvertidas tendem a evitar ou retirar-se de quaisquer situações sociais, preferindo o isolamento. O perfeccionismo eleva as expectativas sobre o próprio desempenho, levando ao receio de que os outros reparem nas suas “falhas” e julguem negativamente.

A ansiedade social pode afetar todas as relações do sujeito, desde o convívio com estranhos e conhecidos casuais, àqueles com a família e amigos.

Para muitas pessoas, mesmo as formas mais simples de interação social, como fazer uma compra na padaria ou cumprimentar um vizinho, são difíceis. Para essas pessoas, fazer amizades ou manter encontros amorosos pode estar distante da realidade.

CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO

Para a Fobia Social o DSM-IV sugere os seguintes critérios:

A: Temor persistente, ligado a situações sociais ou a atuações em público por medo de resultar em embaraços.

B: A exposição a esses estímulos produz quase invariavelmente uma resposta imediata de ansiedade.

C: A pessoa reconhece que esse medo é excessivo ou irracional (pode não acontecer em crianças).

D: Há evitação das situações sociais ou das atuações em público mesmo que às vezes se possa suportar com extremo temor.

E: Esta evitação ou ansiedade interfere marcantemente na rotina diária da pessoa.

G: A evitação não se deve a efeitos fisiológicos diretos de uma substância ou de uma enfermidade médica, bem como não pode ser explicada pela presença de outro transtorno mental.

SITUAÇÕES TEMIDAS

Situações interpessoais 

  • Convidar alguém para sair
  • Falar com alguém que é percebido como mais autoritário, ou divertido, ou interessante, ou que de alguma forma colha maior reconhecimento social
  • Iniciar e manter uma conversa
  • Ir a uma festa
  • Convidar amigos para jantar
  • Conhecer pessoas novas
  • Falar ao telefone
  • Expressar uma opinião pessoal
  • Ir a uma entrevista de emprego
  • Ter um comportamento assertivo (por exemplo, dizer não quando não se quer fazer alguma coisa)

Situações de desempenho 

  • Falar em público
  • Fazer esporte ou participar de hobbies que permitam audiência
  • Representar
  • Ler para outras pessoas
  • Comer ou beber em frente a outras pessoas

MANEJO CLÍNICO

A ansiedade ou fobia social se enquadra no rol de fenômenos ligados à ansiedade, e seu encaminhamento terapêutico segue as mesmas compreensões de outros transtornos da mesma natureza.

Aqui no Blog, nós já falamos sobre ansiedade em outras oportunidades.

 Você pode conferir este ARTIGO

 E pode assistir a este VÍDEO

 

Prof Rodrigo Giannangelo
CRP 06/56201-2

 Se você gostou deste conteúdo, ajude nosso trabalho, curtindo a postagem e compartilhando em suas redes sociais.

Você também pode enviar sugestões, críticas e outras ideias de assuntos clicando aqui –> CONTATO

Deixe uma resposta