Artigos, Maquinações

ANSIEDADE É CONFUNDIDA COM COVID-19 E AUMENTA PROCURA A HOSPITAIS

Decidi escrever esse texto depois de atender um número considerável de pessoas que se encaixam na descrição do título.

A ansiedade não é apenas uma sensação psicológica. Ela tem uma relação estreita com sensações e sintomas físicos, como taquicardia, sudorese, respiração ofegante, boca seca, extremidades frias, tremores, frio na barriga, dores pelo corpo, entre outros.

Em cada pessoa que sofre de ansiedade, esses sintomas se mostram de modo específico. Para algumas, são mais notáveis as alterações na respiração e na frequência cardíaca. Para outras, tensões musculares e dores são mais frequentes.

Provavelmente, você já ouviu falar em “psicossomática”. Mas você sabe realmente o que é?

A palavra psicossomática é formada da junção dos termos gregos Psique e Soma, que significam, respectivamente, Mente e Corpo. Psicossomática representa, portanto, a classe de manifestações físicas cuja origem é psicológica / mental.

No caso da ansiedade, a relação mente / corpo é muito clara e bem compreendida: intensa ativação do sistema límbico e do ramo simpático do sistema nervoso autônomo. Essas reações têm praticamente a mesma natureza fisiológica do estresse e seu significado orgânico é adaptativo, ou seja, foram criadas ao longo de nossa evolução como espécie, deixando nosso organismo alerta e pronto para lutar ou fugir em situações de perigo.

Quando a ansiedade se instala de maneira crônica, porém, implica uma deterioração da saúde psíquica e do bem-estar geral do sujeito, além de, comumente, aliar-se a outros quadros psicológicos adversos, em especial a depressão.

No momento que estamos vivendo, uma pandemia coloca a humanidade sob receio de infecção por um vírus potencialmente letal. Os noticiários realizam uma cobertura constante e exaustiva da situação, expondo todas as características e possíveis sintomas da Covid-19, a doença provocada pelo Corona vírus.

O MOTIVO DA CONFUSÃO

É aqui que realmente começa nossa história.

Alguns sintomas da doença provocada pelo novo Corona vírus, como falta de ar e dores no corpo, são comuns a crises de ansiedade.

Já há diversos relatos (que corroboro com minha experiência clínica) de pessoas que têm confundido seus sintomas de ansiedade com a Covid-19.

O medo da infecção provavelmente é responsável por orientar essa percepção. O sujeito tomado pelo medo tem sua ansiedade elevada, o que dispara e/ou intensifica seus característicos sintomas físicos; ao percebê-los, o sujeito se convence de que está contaminado, o que piora o medo e a ansiedade, instalando um círculo vicioso.

Imerso nesta “bola de neve”, o sujeito pode chegar a desenvolver sensações atípicas em crises de ansiedade, mas frequentes na Covid-19, como febre. Tudo ocorre de modo que a impressão de estar doente é reforçada.

Assustado e preocupado com sua saúde, este sujeito pode procurar um serviço de saúde de emergência, onde provavelmente terá dificuldade de atendimento (cada vez mais, todos esses serviços estão recebendo uma demanda de pacientes perto ou além do limite de sua capacidade) e encontrará pacientes de fato infectados com o novo Corona vírus, arriscando-se ao contágio.

Sendo os sintomas de ordem psicossomática, as pessoas que conseguem ser atendidas acabam saindo frustradas pois, após exame físico, nada é encontrado que justifique sua condição de sofrimento. Na “melhor” das hipóteses, são medicadas com calmantes, ficam sonolentas e têm sua ansiedade momentaneamente reduzida.

Mas, no dia seguinte, o terror retorna.

Os profissionais de saúde que estão na linha de frente do atendimento a pacientes da Covid-19 já se encontram sobrecarregados. Por isso, é importante que existam serviços que façam esse “diagnóstico diferencial” (analisar os sintomas e distinguir o que é Covid-19 e o que é ansiedade), evitando que pessoas procurem as emergências de hospitais desnecessariamente.

COMO POSSO AJUDAR?

Este é o meu trabalho como psicólogo.

Por determinação do CFP (Conselho Federal de Psicologia), e seguindo as orientações das autoridades sanitárias, estou atendendo online, o que facilita o acesso a pessoas de todo o Brasil.

Se você estiver passando por qualquer dificuldade de ordem psíquica, que cause menor ou maior sofrimento, ou se você conhece alguém nessa situação, é fundamental procurar ajuda psicológica.

As consequências deste sofrimento depois de terminada a pandemia ainda são desconhecidas, mas o conhecimento psicológico nos permite crer que podem ser graves.

Quanto antes se iniciar o cuidado, melhores as chances de superar.

Você não está sozinha(o).

COMO ENTRAR EM CONTATO AGORA

As consultas são realizadas por vídeo chamada, dentro de uma plataforma digital segura e muito fácil de usar.

WhatsApp: Clique aqui

Fone: 11 96361 7683

rodrigo.giannangelo@gmail.com

Ou preencha o formulário de contato AQUI.

Psicólogo Prof. Rodrigo Giannangelo
CRP 06/56201-2

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta