Artigos, Maquinações

O QUE SÃO E COMO SURGEM OS AFETOS?

Quando nascemos, e durante um bom tempo, tudo é afeto.

Como assim?

Imagine uma calçada com cimento fresco.

Se alguém, por descuido ou propositalmente, pisar ali, vai deixar uma marca.

Lembro que, quando criança, ver cimento fresco me trazia a tentação de pegar um graveto e escrever meu nome. Depois de seco, estava eu inscrito na posteridade.

O cimento úmido é maleável. Quando submetido a forças externas, ele muda de forma, ou seja, é afetado por essa ação. Digamos então que o cimento fresco não é indiferente à atuação de forças externas; ao contrário, ele é afetável.

Olhemos agora para nós mesmos. O modo humano de ser no mundo também é afetável.

Você está largado no sofá, assistindo ao seu programa de TV predileto, na maior tranquilidade. De repente, a transmissão é interrompida e começa a vinheta do “Plantão do Jornal Nacional” (e sua indefectível trilha sonora, pam pam pam pam pam…).

A paz que você sentia se esvai.

O que terá acontecido? Será algo grave?

Ansiedade e medo fazem parte agora do que você é.

Um evento externo lhe afetou, mudou sua “forma” (não fisicamente, mas existencialmente falando).

A dimensão afetiva humana diz respeito a esta nossa condição: o mundo não nos é indiferente; ao contrário, coisas que acontecem em nossos arredores existenciais nos tocam e, ao tocar, nos modificam.

Para nos tocar, algo precisa estar próximo de nós, mas não necessariamente no sentido espacial / geográfico. Eu combino de encontrar um amigo às 15h, e até as 16h ele não chega, nem responde às minhas mensagens. O amigo, espacialmente distante, me toca. Eu, que estava alegre pelo encontro, agora estou preocupado.

O filósofo Eugène Gendlin (1926-2017), analisando a obra de Martin Heidegger, afirma essa afetabilidade como condição central de nossa humanidade, e origem de nossa capacidade de compreender o mundo.

Isso ocorre porque, na medida em que é afetado, o sujeito é disposto com determinado “humor”. No exemplo acima, o atraso do amigo me deixa preocupado. O estar preocupado é um afeto que me revela algo sobre aquele momento: algo ruim pode ter acontecido ao meu amigo.

Nem tudo que nos afeta vem de fora: fome é afeto. Está na dimensão afetiva tudo o que toca, influencia, torna o sujeito diferente de si mesmo.

O afeto me apresenta o mundo de forma imediata. Antes de qualquer racionalização sobre a situação, é na dimensão afetiva que a situação se mostra.

Nesse sentido, podemos dizer que a racionalização (pensamento) é sempre uma operação posterior aos afetos. A filosofia e a ciência, as teses, hipóteses e todas as construções teóricas, não começam pelo pensamento, mas pelo afeto.

COMO ENTRAR EM CONTATO COMIGO

WhatsApp: Clique aqui

Ou preencha o formulário de contato AQUI.

Psicólogo Msc. Rodrigo Giannangelo
CRP 06/56201-2

📲 Inscreva-se gratuitamente no blog para receber as atualizações.

Um comentário em “O QUE SÃO E COMO SURGEM OS AFETOS?”

Deixe uma resposta