Artigos

10 MECANISMOS DE DEFESA QUE CONTROLAM SUA VIDA SEM QUE VOCÊ PERCEBA

Mecanismos de defesa impedem que você atinja a maturidade emocional e desenvolva plenamente sua personalidade

Em post anterior (Mecanismos de defesa desatualizados causam boa parte do nosso sofrimento) falei sobre mecanismos de defesa do ego – o que são e como funcionam.

Agora, listo abaixo 10 mecanismos de defesa clássicos que podem estar controlando sua vida sem que você perceba:

MECANISMOS DE DEFESA
Mecanismos de defesa atuam para ajudar o ego a lidar com emoções pesadas e insuportáveis

1. Acting out

No acting out, você age inconscientemente, “descontando” em algo ou alguém por conta de uma questão interna mal resolvida. É como se você encenasse na realidade uma história problemática que traz em sua psique. Assim, você literalmente usa pessoas, coisas, lugares etc. reais para repetir as cenas da sua fantasia inconsciente.

Por exemplo, você pode ter atitudes agressivas diante de pessoas que nada fizeram para justificá-las. Embora a realidade torne essa agressividade descabida, ela reflete uma insatisfação interna sua, proveniente de um contexto totalmente diferente.

MECANISMOS DE DEFESA
No Canadá, uma empresa criou uma “sala de destruição”, onde você pode quebrar objetos para descontar sua raiva.

2. Negação

Esta defesa reflete incapacidade / recusa de confrontar / admitir a realidade.

MECANISMOS DE DEFESA

Também podemos chamar de negação quando a realidade é percebida precisamente, mas sua importância é minimizada.

NEGAÇÃO
A negação pode ser uma forma de não se responsabilizar sobre o que acontece

3. Dissociação

Na dissociação, você se desconecta de pensamentos, sentimentos ou memórias que estão inconscientemente ligados a uma dor emocional não resolvida.

Sentimentos de despersonalização ou desrealização podem estar presentes. Amnésia parcial (ou total, em casos graves) também pode ocorrer.

Algum nível de dissociação pode ser encontrado em todos nós. Contudo, quando este mecanismo de defesa controla o funcionamento do ego de forma integral, configura-se o Transtorno Dissociativo de Identidade.

MECANISMOS DE DEFESA
O filme ‘Clube da Luta’ mostra um exemplo de Transtorno Dissociativo de Identidade

4. Fantasia

Em vários contextos, a fantasia pode ser benéfica. Por exemplo, quando representa um ensaio para a ação real.

FANTASIA

Contudo, se a fantasia funciona como um substituto para a ação real, você deixa de se aproximar de seus objetivos de vida.

FANTASIA

5. Racionalização

Ao contrário de outras defesas francamente irracionais, a racionalização se caracteriza por descartar o componente emocional de uma situação, tratando-a de forma fria e puramente analítica.

Assim, as emoções angustiantes que normalmente acompanhariam aquela vivência são bloqueadas.

6. Compensação

Esse mecanismo implica se esforçar para desenvolver capacidades em uma área para compensar deficiências em outra.

Se, em determinada área, você se sente inferior ao que deseja, sua defesa pode ser se destacar em outra coisa. Mas um esforço desproporcional em uma única área pode desequilibrar a sua vida.

7. Agressividade passiva

Estratégia de defesa que pode ser consciente ou inconsciente, esse mecanismo pode encobrir sentimentos de ansiedade, desconfiança e baixa autoestima por meio de ataques indiretos aos outros.

O comportamento passivo agressivo é sempre furtivo; portanto, pode ser muito difícil de detectar.

8. Projeção

Projetar é atribuir a outras coisas ou pessoas aspectos negativos que são seus, mas que você não consegue aceitar em si mesmo.

ESTE MECANISMO DE DEFESA JÁ FOI ABORDADO AQUI.

MECANISMOS DE DEFESA

9. Regressão

Regredir é voltar para um estado de emoções muito antigo para enfrentar situações que desencadeiam sentimentos poderosamente perturbadores.

Quando um bebê nasce, pode ocorrer que o filho mais velho volte a realizar comportamentos que já superara, como usar chupeta ou fazer xixi na cama. Estes são sinais de regressão, cujo sentido é lidar com a tensão provocada pela ameaça de perder o amor dos pais.

10. Repressão

A repressão elimina da consciência uma memória potencialmente ameaçadora para o ego, transferindo-a para as profundezas do seu inconsciente.

No entanto, como a maioria dos conteúdos inconscientes, essa memória “proibida” pode continuar a exercer influência sobre sua vida, sob a forma de sintoma.


Todos esses mecanismos têm uma função positiva, de defender o ego de emoções muito desagradáveis ou dolorosas. Porém, ao fazer isso, criam uma espécie de “anestesia psíquica”, que o impede de experimentar sentimentos genuínos e viver a vida em sua plenitude de possibilidades.

Reconhecer a existência de defesas desatualizadas não é suficiente para superá-las. A ajuda de um psicoterapeuta certamente irá ajudá-lo com isso.


FALE COM O PSICÓLOGO RODRIGO GIANNANGELO:

Deixe uma resposta